MIT desenvolve um Jardim Robótico

Jardim robótico do MIT ensina conceitos de programação a crianças

 

Notícia publicada originalmente na INFO.

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT, desenvolveram um sistema criativo que pode ser bem útil no ensino de programação a crianças. Ainda em fase de testes, ele é composto por uma centena de flores de origami com LEDs, que acendem e mudam de forma coletivamente para demonstrar o conceito de computação distribuída a crianças.

A área estuda sistemas em que componentes de máquinas conectadas em rede se comunicam e coordenam suas ações trocando “mensagens” – que é basicamente o que fazem as plantas usadas no projeto. São 16 quadrantes delas, todos conectados por microcontroladores Arduino, que podem ser comandados por qualquer dispositivo compatível com Bluetooth.

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT, desenvolveram um sistema criativo que pode ser bem útil no ensino de programação a crianças. Ainda em fase de testes, ele é composto por uma centena de flores de origami com LEDs, que acendem e mudam de forma coletivamente para demonstrar o conceito de computação distribuída a crianças.

A área estuda sistemas em que componentes de máquinas conectadas em rede se comunicam e coordenam suas ações trocando “mensagens” – que é basicamente o que fazem as plantas usadas no projeto. São 16 quadrantes delas, todos conectados por microcontroladores Arduino, que podem ser comandados por qualquer dispositivo compatível com Bluetooth.

As instruções podem ser passadas tanto por cliques na interface de um programa quanto por linhas de código. É só por esta segunda opção, no entanto, que os “jardineiros” conseguem realizar as sequências mais complexas, que podem ser usadas para movimentar todos os grupos de flores.

No vídeo de demonstração, os responsáveis pela obra executam diferentes tipos de algoritmos para mover a plantação de origami – sendo o mais interessante deles o chamado Graph Coloring. Como explica a principal autora da pesquisa Lindsay Sanneman, a sequência faz com que todos os quadrantes de flores mudem automaticamente para cores diferentes dos que os cercam.

O projeto é interessante porque serve como uma “vitrine” para os programadores. Os responsáveis por manejar o jardim robótico podem ver o código em ação em um ambiente físico, algo que tem potencial para ser bem mais empolgante do que ficar olhando para uma tela de computador.

Prova disso é que, em uma demonstração feita durante um evento da Hora do Código nos EUA, o sistema conseguiu atrair a atenção de vários estudantes de ensino médio. E conforme contou Lindsay no vídeo, uma dupla chegou até a perguntar a ela onde poderia conseguir os componentes para montar seus próprios jardins de Arduino.

Por ora, a plantação de origami segue em fase de testes, e os planos dos pesquisadores liderados por Lindsay incluem adicionar o suporte a múltiplos controladores simultâneos. E em breve, a ideia é tornar o sistema um modelo-base, que poderá depois ser replicado e usado em aulas de programação para os mais novos.

 

Os cursos da Escola de Inventor juntam o ensino da programação e da robótica em um espaço maker, colocando as crianças em contato com conteúdos ligados as ciências, a tecnologia, a engenharia e a matemática de forma interessante, prática e divertida!
Gostou? Então, matricule seu filho na Escola de Inventor!

Para mais informações sobre nossos cursos, por favor ligue para (16) 3442-4442 ou acesse https://escoladeinventor.com.br/#cursos .

LOGO_EI_200px_v1

Deixe uma resposta

Fechar Menu