Espaço Maker: 6 Princípios para a resolução de problemas

Espaço Maker: 6 Princípios para a resolução de problemas

Espaço Maker é um ambiente onde diversos desafios surgem, mas como lidar com eles? Quais são as dicas para trabalhar a resolução de problemas com os alunos?

No Espaço Maker, propor problemas para que a classe resolva é uma das práticas mais frequentes quando se trata de física, ciências, engenharia e matemática. Mas será que esses são problemas reais? Ou são problemas que demandam apenas o aprendizado de como aplicar um procedimento padrão para encontrar um resultado? Se a resposta é que os problemas se parecem com essa descrição, então eles devem ser chamados de exercícios.

Problemas reais demandam tomada de decisão e pensamento crítico, enquanto exercícios envolvem apenas a execução de algoritmos. Com essas definições claras, vamos explorar os 6 princípios a serem levados em conta no ensino da resolução de problemas – isso será extremamente importante se você faz parte de um Espaço Maker:

  1. Contextualize

No Espaço Maker, ensinar sobre as habilidades da resolução de problemas é mais eficiente quando se trabalha com contextos próximos aos dos alunos e da vida real. Utilize exemplos familiares para trazer significado e inserir os conteúdos de cada área do conhecimento.

  1. Compreendendo o problema

Quando apresenta-se um problema no Espaço Maker as principais perguntas a se fazer é “O que?” e “Por quê?”, ensine os alunos a explorarem essas questões para definirem melhor o problema e seu objetivo. Com uma melhor definição do problema eles poderão explorar o “Como?” de forma mais direcionada e eficiente.

  1. Apresente métodos

Resolver problemas demanda algumas competências e habilidades como: paciência, persistência e saber organizar e estruturar um método para a resolução. Traga exemplos práticos de alguns métodos para que eles os tenham como referenciais e possam trabalhar elaborando os seus próprios métodos. Conheça o Design Thinking!

Espaço Maker
  1. Questione e instigue:

Durante o desenvolvimento das atividades no Espaço Maker você tem um papel importante na geração de discussões. Pergunte nos grupos a razão pela qual conseguiram tal resultado? Ou, por que decidiram utilizar tal método? Aponte pontos fracos nos métodos e instigue os estudantes a refletirem sobre suas estratégias.

  1. Qualidade não é quantidade

Uma das dificuldades ao se ensinar como solucionar problemas é a demanda de tempo. O início desse processo de aprendizagem demandará bastante paciência e tempo das aulas. Quando estiver planejando a aula reserve tempo de sobra para as etapas: compreender o problema, estabelecer os objetivos, resolver problemas do projeto, reuniões com o professor e com o grupo. Enfim, dedique-se sem pressa no início, com a prática os alunos estarão mais ágeis na resolução dos problemas.

  1. Aponte os equívocos

Durante a resolução dos problemas alguns equívocos deverão surgir e você deve estar pronto para questionar os alunos e levá-los a encontrar os erros e compreender como chegaram até aquele equívoco. Pontue como você faz para avaliar os equívocos ao se perguntar “Onde o erro começou?” ou “Qual conceito foi equivocado?”. Permita que esse processo seja exposto à sala para que com o tempo surja a autonomia e eles sejam capazes de identificar isso sozinhos.

Deixe uma resposta

Fechar Menu